Tanques Químicos ALPINA para líquidos perigosos

Especificações Técnicas

Tipos de Polietileno

Os tanques podem ser fabricados em Polietileno Reticulado (XLHDPE) ou Polietileno Linear (LMDPE)

Válvulas e Mangotes

A Alpina oferece válvulas tipo esfera para 1" - 1 ,25" - 1 ,50" - 2" de diâmetro, fabricadas em polipropileno reforçadas com fibra de vidro, resistentes aos ácidos. Para carga ou descarga do produto, devem ser usadas mangueiras flexíveis, de material compatível com os produtos e suas temperaturas. Nunca devem ser usados dutos rígidos para ligações hidráulicas.

Ventilação

Na execução-padrão, os tanques já vêm com respiros para equalização da pressão atmosférica na carga e descarga dos mesmos.

Se for preciso encapsular os vapores que escapam no ato da carga, deverá ser ligado um respiro único ao tanque de transporte, de onde o líquido é enviado ao tanque químico, possibilitando o equilíbrio das pressões entre os vasos, além de manter a pressão atmosférica no tanque químico (vide nossa versão do Kit Clorídrico).

Reforços Estruturais e Fundações

A placa da base de apoio deverá ser sempre plana, integral, horizontal, nivelada, com superfície lisa, de concreto, asfalto ou chapas de aço com proteção contra a corrosão, excedendo o diâmetro externo do tanque. Em nenhuma circunstância poderão ser colocados reforços rígidos, circunferenciais, como, por exemplo, cintas de aço para fixação de escadas ou plataformas. Os pontos de fixação devem obedecer aos indicados em desenho de fabricação e/ou implantação.

Temperatura

Os limites superiores de temperatura do líquido devem obedecer rigorosamente àqueles indicados em projeto, que são base para cálculo da espessura das paredes e dos fundos dos tanques).

Em caso de ocorrência de vazamento, a eventual descoloração da parede do tanque e sua possível deformação são consideradas como prova circunstancial de que houve sobreaquecimento.

A realização de controles de limites de temperatura é obrigatória por parte dos clientes. Em nenhuma circunstância deverá ultrapassar o limite de 65°C.

Diques de Contenção

Para aqueles tanques químicos que guardam líquidos perigosos de alto risco (toxidez, corrosividade, etc.), devem - a exemplo da Norma NBR 7505 para tanques grandes de combustíveis - ser construídos diques de contenção para impedir qualquer derramamento ou gotejamento no meio ambiente.

Ainda não foram emitidas normas reguladoras no Brasil para tanques de polietileno ou outros plásticos de engenharia. Entretanto, considerando os riscos envolvidos - mesmo em operação de transferência do líquido -, a Alpina recomenda a provisão de diques onde haja manuseio de líquidos perigosos, para maior proteção do usuário.

Construção de Diques

Devem ser construídos em alvenaria, com resistência à pressão hidrostática e dinâmica de um esvaziamento brusco do tanque.

A área de construção deve corresponder ao volume somado dos tanques envolvidos, mais 10%, respeitando-se uma altura livre interna de aproximadamente 0,45 m, com previsão de esvaziamento por bomba de sucção.

Não deve haver aberturas laterais com válvulas, e o revestimento interno deve resistir à ação química do líquido contido durante o período necessário até a remediação do respingo ou vazamento e a transferência para um vaso emergencial.

Importante:

A existência e a integridade do dique de contenção são de responsabilidade do usuário. Para melhor preservar a integridade físico-química do produto armazenado e prolongar a vida útil do equipamento, recomendamos que o tanque esteja protegido dos raios UV.

Conheça os modelos dos Tanques Químicos

linha 073 Linha 073 linha 080 Linha 080 linha 083 Linha 083